Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

13/05/2021 10h30

Em meio à polêmica com o patrocínio da Havan, mais um parceiro do Flamengo deu o que falar nesta semana. Durante o confronto com o Unión La Calera, pela Libertadores, na última terça-feira (11), Luis Felipe Adaime, CEO e founder da Moss, utilizando uma conta pessoal em rede social, fez críticas ao time comandado por Rogério Ceni. Em uma das publicações, chegou a pedir que os jogadores se doassem mais em campo. Internamente, porém, houve quem lembrasse que, em contrato, “é vedado a qualquer das Partes dar entrevista ou pronunciar-se em nome da outra, bem como criticar, emitir opiniões ou fazer qualquer comentário acerca de seus nomes, marcas/logotipos, diretores, dirigentes e gestões desportivas e empresariais”. O UOL Esporte procurou o Rubro-Negro e a Moss, que não se pronunciaram sobre o episódio.

Para ler esta notícia na íntegra, além de outras novidades dos bastidores da bola, acesse a coluna De Primeira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui