Palco da festa de encerramento dos Jogos Olímpicos 2016, o Maracanã foi o local em que Tóquio, no Japão, recebeu as boas-vindas para ser a próxima sede. É justamente neste estádio, logo mais, no clássico entre Fluminense e Flamengo, que três jogadores podem dar mais um passo para concretizar o sonho de estar em uma Olimpíada. O duelo, válido pela primeira partida da final do Campeonato Carioca, terá o zagueiro Nino no lado tricolor, e, no lado rubro-negro, o volante Gerson e o atacante Pedro.

Os três jovens foram convocados ontem (14) pelo técnico André Jardine para um período de treinos e possíveis amistosos da seleção brasileira masculina que se prepara para os Jogos de Tóquio, a partir de julho. A Olimpíada seria realizada no ano passado, mas, devido à pandemia de coronavírus, foi adiada em um ano.

Visão geral do Maracanã durante o início da festa de encerramento - Patrick Smith/Getty Images - Patrick Smith/Getty Images
Imagem: Patrick Smith/Getty Images

Nino chegou ao Fluminense em 2019, emprestado pelo Criciúma, logo conquistou espaço, ganhou destaque e foi convocado para a seleção sub-23. Em janeiro do ano seguinte, o Tricolor anunciou a permanência do jogador, assinando um contrato de três anos.

“É um sonho para mim. Hoje me vejo perto desse sonho estando na penúltima convocação. Então, espero continuar fazendo um bom trabalho aqui e, quando chegar lá, agradar nos treinamentos e nos amistosos para, se Deus quiser, conseguir realizar esse sonho”, disse o camisa 33, ao site oficial do Flu.

Além dele, Jardine chamou para o setor Gabriel Magalhães, do Arsenal, da Inglaterra, Luiz Felipe, da Lázio, da Itália, e Ibañez, da Roma, também da Itália, que, inclusive, é velho conhecido da torcida tricolor. Ele chegou às Laranjeiras em 2017, ainda para o sub-20, e ganhou espaço no elenco principal no ano seguinte, sob o comando de Abel Braga.

Pelo Flamengo, foram convocados Gerson e Pedro, que, coincidentemente, são crias do rival desta noite e desembarcaram na Gávea após passagem pela Europa.

O volante acertou com o Rubro-Negro em julho de 2019, em uma transação com a Roma que girou em torno de 11,8 milhões de euros, cerca de R$ 50 milhões, na cotação da época. Desde a chegada, se tornou titular e tem sido um dos principais nomes desta vitoriosa geração.

Na seleção, o camisa 8 será opção para o meio de campo ao lado de Bruno Guimarães, do Lyon, da França, Liziero, do São Paulo, Matheus Henrique, do Grêmio, Claudinho, do Red Bull Bragantino, e Reinier, do Borussia Dortmund, da Alemanha, que é cria da base do Fla.

Já Pedro, estava na Fiorentina, da Itália, e foi contratado em janeiro do ano passado, por empréstimo de um ano. Em dezembro, o clube da Gávea comunicou que quitaria o parcelamento dos 14 milhões de euros restantes para a aquisição dos direitos federativos e garantiu a permanência do jogador.

No Rubro-Negro, o atacante briga por vaga no setor ofensivo, que conta com Gabigol como principal referência, mas vem sendo um “12º jogador” e entrando constantemente. No último dia 27, por exemplo, entrou contra o La Calera, do Chile, pela Libertadores, e marcou um golaço. Com a amarelinha, terá como concorrentes Antony, do Ajax, da Holanda, Malcom, do Zenit, da Rússia, Evanílson, do Porto, de Portugal, Gabriel Martinelli, do Arsenal, da Iglaterra, e Rodrygo, do Real Madrid, da Espanha.

“A gente espera que o Gerson tenha amadurecido”

Gerson volta à seleção após polêmica em que se envolveu no começo do ano passado. O volante foi chamado por André Jardine para defender o Brasil no Pré-Olímpico, mas alegou desgaste físico para não entrar na lista, segundo apuração à época. Jardine, porém, considerou um episódio como um erro no passado e apontou torcer por um amadurecimento do jogador.

“Eu sou um profissional que a minha maior experiência é trabalhar com base e com jogadores em formação, em todos os sentidos. A gente acredita muitas vezes que o erro faz parte. Nós erramos muito, os jogadores erram. A gente espera que o Gerson tenha amadurecido. É um passado até distante para ele, vejo ele em um momento maravilhoso”, iniciou.

Gerson, do Flamengo, comemora seu gol diante do Santos pelo Brasileirão - Jorge Rodrigues/AGIF - Jorge Rodrigues/AGIF
Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF

O técnico disse ainda que o camisa 8 do Fla “manifestou desejo” de atuar com a camisa da seleção olímpica.

“Senti nele um jogador muito maduro e concentrado naquilo que faz, focado em conquistar títulos e em decolar na carreira. Foi o que passou para mim. Tenho certeza que é esse Gerson que vamos encontrar na seleção. Ele manifestou que tem o desejo de jogar em qualquer seleção.”

Dinheiro no cofre de Fla e Flu?

Convocado para a seleção olímpica, Gerson está na mira do Olympique de Marselha, da França, do técnico Jorge Sampaoli. O aceno é por uma proposta de 25 milhões de euros, cerca de R$ 160 milhões.

Caso a negociação vá à frente e se concretize, tanto o Rubro-Negro, que detém os direitos econômicos, quanto o Tricolor, clube formador, teriam lucros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui