Pela primeira vez o Campeonato Paulista terá uma final entre dois times dirigidos por treinadores estrangeiros, com o São Paulo do argentino Hernán Crespo, classificado ao golear o Mirassol por 4 a 0, e o Palmeiras do português Abel Ferreira, que se garantiu ao bater o Corinthians por 2 a 0 na semifinal, jogos que ocorrerão na próxima quinta-feira (20), às 22h, no Allianz Parque, e no domingo (23), às 16h, no Morumbi, com um confronto de estilos.

No podcast Posse de Bola #126, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, José Trajano e Juca Kfouri analisam a definição dos finalistas, assim como a demissão do técnico Vagner Mancini do Corinthians depois da derrota para o Palmeiras na Neo Química Arena, e comentários sobre as finais de outros estaduais, entre Flamengo e Fluminense no Rio, Grêmio e Internacional no Rio Grande do Sul e América contra o Atlético-MG em Minas Gerais.

Juca Kfouri espera dois grandes jogos entre os rivais paulistas e se diz curioso por saber quem levará a melhor entre um Palmeiras que avançou sem apresentar um futebol vistoso em um campeonato no qual usou um time muitas vezes reserva, e o São Paulo, que deu prioridade à competição até em detrimento da Libertadores na busca por um título para encerrar a fila.

“Muitíssimo curioso por ver o que vai ganhar, se a generosidade do São Paulo de Hernán Crespo, que ganha e dá espetáculo, e quer mais, ou se a coisa mão de vaca do Palmeiras, pão-dura do Palmeiras, que joga para ganhar. 1 a 0 está de bom tamanho, 2 a 0 é goleada, está de bom tamanho. O São Paulo não, o São Paulo não se limita a querer ganhar”, afirma Juca.

“Claro que em se tratando do Paulistinha, nesta reta final, o São Paulo teve duas molezas, um time de Série D, a Ferroviária, e um time de Série C, o Mirassol, e o Palmeiras teve dois times de Série A, o Bragantino e o Corinthians, isso faz toda a diferença. A gente não pode comparar as duas vitórias do São Paulo, as duas goleadas, com as duas vitórias do Palmeiras, mas as duas vitórias do São Paulo foram idênticas e as duas do Palmeiras também foram idênticas, foram vitórias na conta do chá”, completa.

O jornalista afirma que o São Paulo está agradando mais pelo futebol que joga, mas se diz curioso se o time conseguirá superar a eficácia do Palmeiras de Abel Ferreira em seu estilo de jogo.

“Eu quero muito ver o que será deste jogo, porque aos olhos o São Paulo está agradando muito mais. Esse encontro entre o lusitano e o argentino me desperta enorme curiosidade. Eu, que trato este campeonato há anos, muito antes do presidente do Palmeiras, a quem agradeço pela utilização, sem dar crédito, mas não vou cobrar, eu que chamo este campeonato de Paulistinha, agora digo de boca cheia, veremos finais sensacionais do Campeonato Paulista”, conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube –neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui