Após o empate com a LDU, do Equador, no Maracanã, que colocou o Flamengo nas oitavas de final da Libertadores, o técnico Rogério Ceni garantiu que as mudanças no time titular não tiveram ligação com o segundo jogo da final do Campeonato Carioca, que acontece sábado, contra o Fluminense.

Segundo o treinador rubro-negro, as alterações acontecer por medo de lesão e por uma estratégia para este confronto, garantindo que entrou em campo o “melhor que tinha”. Na avaliação de Ceni, a expulsão de Arão ainda no começo do duelo foi o grande fator para o desempenho da equipe.

O time da Gávea abriu o placar com Pedro, mas tomou a virada e arrancou o empate apenas nos minutos finais, com Gustavo Henrique.

“Tenho um grupo bom de jogadores. Sei que muitos não sabem, mas a nossa viagem foi extremamente desgastante para o Chile [para o duelo com o La Calera], tivemos quase 11h30 para chegar. Existe um desgaste e não posso perder jogador por lesão. Nós não poupamos, colocamos o melhor time que nós tínhamos para o dia de hoje. Gabigol e Pedro na frente, que todos pedem, Arão e Gerson, que é costumeiro. Optamos por Vitinho para ter velocidade pelos lados. Fizemos o melhor que podíamos. O que não podemos contar é com o imponderável, como a expulsão aos 15 minutos. Jogando 80 minutos com um a menos é de se valorizar o empenho, a atitude”, disse.

O time titular foi escalado com uma linha defensiva com Matheuzinho, Bruno Viana, Gustavo Henrique e Leo Pereira —nenhum deles considerado titular no setor.

“O sistema que jogamos foi o mesmo. O Filipe [Luis] já vinha de duas partidas seguidas, e o medo de perdê-lo por lesão passa pela nossa cabeça. Léo Pereira fez a função, mas claro que a gente perdeu a peça-chave, o volante de marcação que dá equilíbrio [Arão]. Isso altera a montagem. Resolvemos colocar o João Gomes, que tem mais noção da marcação e sacrificamos o Everton. No segundo tempo, colocamos Bruno e Arrascaeta na frente para tentar. Fomos atrás do resultado. Não é o ideal, porque aqui o objetivo é sempre sair com a vitória, mas foram 80 minutos com um jogador a menos”, apontou.

O técnico negou ainda que tenha poupado jogadores pensando na final do Campeonato Carioca. No primeiro encontro com o Tricolor das Laranjeiras, empate em 1 a 1.

“[A escolha da escalação foi] Pelos aspectos que treinamos essa semana. Pudemos treinar dois dias seguidos e queríamos levantar um pouco a altura da defesa. Foi em função do jogo de hoje, nada a ver com o jogo do fim de semana. O jogo do fim de semana é outro jogo. Hoje era o melhor que nós tínhamos para evitar a bola área, que, infelizmente, sofremos mais um gol. Mas em absoluto nada a ver com o jogo do fim de semana”, afirmou.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL Flamengo, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Amazon Music e YouTube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui