Em reunião nesta quinta (20) sobre o Fla-Flu pela final do Campeonato Carioca, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) anunciou a Flamengo e Fluminense um pedido à Prefeitura por autorização para 80 convidados por clube para o jogo no Maracanã. A Secretaria Municipal de Saúde, porém, negou o pleito no início da noite.

O número se somaria aos 55 de cada delegação. Caso houvesse a permissão pela Prefeitura, essas pessoas não teriam acesso à área dos vestiários nem ao Maracanã Mais. A ideia era alocá-los em camarotes do terceiro andar: os do Flu no lado Sul, e do Fla no lado Norte, para evitar confusões e desrespeito aos protocolos e medidas sanitárias, como no primeiro jogo.

Ferj solicitou à Prefeitura 80 convidados por clube para o segundo jogo da final do Carioca - Reprodução - Reprodução

Ferj solicitou à Prefeitura 80 convidados por clube para o segundo jogo da final do Carioca

Imagem: Reprodução

As comissões técnicas ficarão no Maracanã Mais, onde farão uma divisória entre a área onde ocorre a alimentação. Além disso, a intenção era que as cadeiras centrais fossem cobertas com lycra para manter o distanciamento.

Em campo, Flamengo e Fluminense se enfrentam pelo título do Campeonato Carioca de 2021. No primeiro jogo, o empate por 1 a 1 deixou tudo aberto para a decisão.

À noite, a Secretaria Municipal de Saúde comunicou que negou o pedido da federação, apontando que o decreto que suspende a presença de públicos em estádio continua em vigor.

“A Secretaria Municipal de Saúde reitera que, durante a vigência do Decreto Rio Nº 48425, de 13 de janeiro de 2021, está suspensa a presença de público em estádios e ginásios esportivos, ainda que se trate de convidados não pagantes. Somente está liberada a presença de atletas, comissões técnicas e de arbitragem, profissionais de imprensa e demais ocupações essenciais ao funcionamento do espaço esportivo.

Diante da legislação em vigor, a Secretaria Municipal de Saúde indeferiu a solicitação encaminhada pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ)”, disse a nota.

Multa e esquema especial para 2º jogo

No primeiro jogo da decisão, o descumprimento das medidas sanitárias gerou multa de R$ 14 mil à administração do Maracanã, o que motivou críticas de Rubens Lopes, presidente da Ferj, à Prefeitura. A Federação liberou 300 convites sem aviso prévio à Prefeitura, e 148 pessoas estiveram presentes — a enorme maioria convidada pelo Flamengo.

A Secretaria de Saúde do município do Rio de Janeiro anunciou que prepara um esquema especial de fiscalização para o jogo. Segundo a secretaria, o decreto 48425/21, que veda a presença de público em estádios e ginásios esportivos, ainda que não pagante, permanece em vigor. Caso haja um novo descumprimento das medidas sanitárias, o Maracanã pode, até mesmo, ser interditado.

Por público, Fla tentou levar decisão à Brasília

O Maracanã foi confirmado como sede do jogo na terça (18), após “derrota” do Flamengo nos bastidores. Primeiro, a Prefeitura negou a presença de público no estádio.

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) e o Rubro-Negro, mandante da partida, demonstraram intenção de levar o duelo para Brasília, onde o clube da Gávea tentaria acordos políticos para levar público ao Mané Garrincha, enquanto o Fluminense se mostrou veementemente contrário à medida e ameaçou não viajar ou entrar em campo.

A possibilidade foi colocada à mesa na última semana, em documento publicado pela Ferj. O Fla se mostrou favorável, enquanto o Fluminense foi contrário. Botafogo e Vasco, participantes da decisão da Taça Rio, participaram da conversa e fizeram coro negativo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui