Gerson em ação pelo Flamengo na partida contra o Independiente del Valle pela Copa Libertadores de 2020 (Foto Alexandre Vidal/Flamengo)

Uma missão complicada e que o Flamengo não está acostumado a enfrentar.

Na teoria, a saída de Gerson para o Olympique de Marselha já representa um problemão. O Coringa se tornou referência do time supercampeão de 2019 para cá. Na prática, a confusão é ainda maior. Escolher um substituto para o camisa 8 significa preencher um vazio que o Rubro-Negro só se deparou em 15 oportunidade nos últimos dois anos, e na maioria das vezes Diego ou Thiago Maia foram escolhidos.

Vamos aos números! Desde que estreou com a camisa do clube do coração, diante do Corinthians, em São Paulo, no dia 21 de julho de 2019, o Flamengo entrou em campo 130 vezes, e em 105 contou com Gerson. Se retirarmos dez desses jogos com o time alternativo em inícios dos Cariocas de 2020 e 2021, quando o elenco principal estava de férias, restam 15 onde Gerson foi desfalque ou poupado. Ou seja, realmente um exigiu que Jorge Jesus, Dome ou Rogério Ceni apontassem um substituto.

Gerson em números no Flamengo

  • 105 jogos (96 como titular)
  • 8780 minutos em campo
  • gols
  • 11 assistências
  • 22 amarelos
  • 32 amarelos provocados em rivais

Neste cenário, o preferido dos treinadores com sobras foi aquele que forma com Gerson a dupla titular de volantes atualmente: Diego Ribas. O camisa 10 entrou no lugar do Coringa nove vezes, contra três de Thiago Maia, duas de João Gomes e uma do jovem Max. Esta “solução”, por sua vez, obrigaria Rogério a encontrar um nome para a função de primeiro volante, numa espécie de cobertor curto.

O que chama a atenção nos números, no entanto, é a regularidade de Gerson nos quase dois anos de Flamengo. São apenas sete partidas de ausência por lesão (4) ou suspensão (3). Todas as outras foram por opção do treinador para poupá-lo visando compromissos mais importantes.

Quem mais substituiu Gerson

  • Diego – 9
  • Thiago Maia – 3
  • Gomes – 2
  • Max – 1

Na série vitoriosa de 2019 com Jorge Jesus, por exemplo, Gerson só não esteve em campo uma vez: diante do Grêmio, em Porto Alegre, quando estava suspenso e o português mandou para campo um time quase todo reserva na vitória por 1 a 0 que, uma semana depois, valeria o título do Brasileirão.

São estatísticas que ajudam a comprovar a importância de um jogador que não à toa foi apelidado de Coringa. Nos 105 jogos (96 como titular), Gerson atuou nas três primeiras funções do meio de campo, além de ter sido improvisado no ataque algumas vezes tanto pela direita quanto pela esquerda.

Com o acerto costurado, o volante assinará em breve contrato de cinco anos com o Olympique de Marselha. O Flamengo receberá cerca de 25 milhões de euros (R$ 160 mi) com possibilidade de chegar a 30 mi de euros no futuro caso metas pessoais e coletivas sejam batidas. Há ainda uma cláusula que dá ao clube carioca de 20 a 25% em uma venda nos próximos anos.

Menos mal para Rogério que terá tempo para buscar um substituto no elenco ou no mercado com Gerson ainda à disposição. Na seleção olímpica para amistosos visando os Jogos de Tóquio, o volante ainda volta ao Flamengo no dia 10 e fica como opção até que os convocados para a Copa América retornem.

Retirado de: Globo Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui