Rodinei em ação pelo Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Diego, Gerson, Arrascaeta, Bruno Henrique, Éverton Ribeiro e Gabigol. Do meio para frente, o Flamengo tem um time estrelado e, certamente, possui o melhor sistema ofensivo do Brasil e um dos melhores da América do Sul. Mesmo com a provável saída de Gerson, o clube tem opções interessantes no banco para tentar manter um bom nível, ainda que seja quase impossível substituí-lo a altura.

Porém, desde a temporada passada, o rubro-negro apresenta problemas constantes em seu sistema defensivo. Com a saída de Pablo Marí e Rafinha, a zaga e a lateral-direita jamais foram posições unânimes para a torcida e o treinador. A lesão de Rodrigo Caio piorou a situação, o que resultou em um número altíssimo de gols sofridos pelo jogo aéreo.

Nesse sentido, vamos analisar as opções do técnico Rogério Ceni e entender como seria o esquema ideal do Flamengo, considerando as peças que estão no elenco atualmente.

Lateral

Isla chegou com o enorme desafio de substituir Rafinha e veio com um currículo extenso na Europa, além de ter sido importante na Seleção Chilena. Contudo, a idade pesou e o lateral já estava longe do nível que apresentava no auge da carreira. Assim, as atuações irregulares e as constantes falhas criaram uma certa insegurança em torno do jogador, que tem a titularidade ameaçada.

Até a semana passada, seu concorrente principal era Matheuzinho. O jovem de 20 anos esteve mal em 2020, mas evoluiu na atual temporada e apresenta uma maior segurança defensiva em relação a Isla. A inexperiência pode pesar em alguns momentos, mas o defensor já mostrou que tem potencial para ser titular.

Além deles, Rodinei chegou recentemente e promete acirrar a concorrência pelo lado direito. O jogador retorna após boa passagem pelo Internacional, mas ainda sofre com a desconfiança por parte da torcida, pelas falhas do passado. Muito forte ofensivamente, ele vem como um dos líderes em assistências no país nesta temporada (sete no total), mas ainda precisa lidar melhor com a parte defensiva.

Zagueiros

Indiscutivelmente, um dos titulares na zaga é Rodrigo Caio. Um dos nomes da Seleção Brasileira de Tite, é um dos melhores zagueiros do país. Precisa tomar cuidado com o número de cartões amarelos, mas é destaque em quase todas as outras características.

Do outro lado, Willian Arão foi improvisado e chegou a assumir a titularidade na reta final do último Brasileirão, sem comprometer tanto e sendo peça importante na arrancada que terminou no título do torneio. Porém, nesta temporada, o volante parece sentir a mudança de posição e tem sofrido no jogo aéreo.

Em contrapartida, Gustavo Henrique é forte no cabeceio, mas é alvo da torcida desde o final do ano passado pelas diversas falhas, chegando a virar meme pelo alto número de erros que resultaram em gols adversários. Já Léo Pereira corre por fora, mas também é irregular e parece ser preterido por Rogério Ceni neste momento. Por fim, Bruno Viana até que conseguiu ter um bom desempenhos nos primeiros jogos do Carioca, mas desde então ainda não conseguiu ter sequencia.

Veredito

Pelo lado direito, Matheuzinho parece ser a melhor opção, já que apresenta melhores números defensivos em relação aos concorrentes, algo que deveria ser prioridade no esquema do Flamengo atualmente.

Na zaga, Gustavo Henrique não é o nome ideal, mas parece lidar melhor com o jogo aéreo em relação às outras opções. Willian Arão pode render melhor na posição de origem e será prejudicado caso continue a ser improvisado.

De qualquer forma, o Flamengo busca um zagueiro no mercado e pode trazer um nome de peso para a posição, o que resolveria essa dificuldade em escalar um companheiro para Rodrigo Caio na zaga.

O lado esquerdo não foi citado pela titularidade absoluta de Filipe Luís, que é um dos melhores laterais-esquerdos do país e está longe de ser um problema, pelo contrário.

Retirado de: Esporte News Mundo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui