Foi bom enquanto durou. Após 108 jogos e oito títulos, Gerson dá adeus ao Flamengo e encerra uma passagem recheada por troféus e que marcou uma guinada em sua carreira. Hoje (23), o volante faz sua “última dança” pelo Rubro-Negro, que encara o Fortaleza, às 19h, no Maracanã, pelo Brasileirão, em partida que serve como um ponto de partida para o futuro sem o camisa 8.

Contratado à Roma, o volante desembarcou na Gávea na metade de 2019, não sem despertar a desconfiança de parte dos torcedores que ainda guardavam na memória a imagem de um meia talentoso, porém sem muita intensidade e que não desabrochou no Fluminense.

Pelas mãos de Jorge Jesus, o jogador cumpriu o sonho de vestir a camisa do clube do coração e se tornou um dos rostos de uma geração que já está marcada nas páginas de ouro do clube. Com sete gols, 11 assistências e outros tantos “Vapo”, o “Coringa” ganhou a arquibancada e se colocou entre os grandes do Brasil.

“O Gerson é louco. Quando estávamos negociando, logo no primeiro dia que em chegamos na Itália, ele já foi no CT da Roma e começou a limpar suas coisas. Falou aos atletas que a diretoria do Flamengo estava lá e que ele ia embora. A gente ainda estava chegando no clube”, recordou Marcos Braz, vice de futebol, em entrevista à “FlaTV”.

De malas prontas para o Olympique (FRA), o atleta deixa o clube com a sensação do dever cumprido, mas abre uma lacuna que desafia a direção. Com a perda de uma peça rara no mercado, os rubro-negros sabem que precisam dar o tiro certo para suprir a carência.

“O Flamengo está buscando contratações. Não é fácil e não vamos contratar por contratar. São [reforços] do meio de campo para frente”, afirmou Braz.

Gerson ficou marcado por gesto característico e bom futebol - Bruna Prado/UOL - Bruna Prado/UOL

Gerson ficou marcado por gesto característico e bom futebol

Imagem: Bruna Prado/UOL

Enquanto os reforços não chegam, o técnico Rogério Ceni trabalha com o que tem. Em uma noite de despedida, o treinador ganhou um retorno de peso que pode ser chave neste momento de transição. Recuperado de uma cirurgia no joelho, Thiago Maia volta a ser relacionado após sete meses de ausência.

Diante da baixa, peças que já estão na casa também ganham uma nova dose de esperança com a perda do titular. Um dos suplentes mais utilizados por Ceni, João Gomes, ainda que um jogador de outras características, também avança algumas casas na briga pela vaga.

Em alta no Fla, Diego é outro que pode ser um pouco mais adiantado neste desenho sem Gerson. Embora firme na posição de zagueiro, Arão passa a ser alternativa para retornar à posição de origem caso Ceni entenda que haja necessidade.

“Eu fico triste de um jogador como ele estar indo embora. Pagamos um preço alto [cerca de R$ 49 milhões] e não sabíamos se daria certo. Deu tudo certo. O Gerson é fenomenal e torço para que um dia ele volte. O pai do Gerson me contou que, quando o Gerson era do Fluminense, ele dizia que um dia queria jogar no Flamengo sempre que passava pela Gávea”, contou o dirigente.

Em clima já de nostalgia, o Fla trabalha para bater o vice-líder do Brasileiro e compensar a derrota por 3 a 2 para o Bragantino. Em seu último desfile em campo como rubro-negro, Gerson ainda espera deixar uma última doce lembrança para os torcedores.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO X FORTALEZA

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 19 de junho de 2021 (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Michael Stanislau (RS)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)

Flamengo: Diego Alves, Matheuzinho, Willian Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Diego, Gerson, Michael (João Gomes) e Vitinho; Bruno Henrique e Pedro. Técnico: Rogério Ceni

Fortaleza: Felipe Alves, Tinga, Marcelo Benevenuto, Titi; Pikachu, Ederson, Felipe, Matheus Vargas, Crispim; David, Robson. Técnico: Juan Pablo Vojvoda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui