Dos seis times argentinos nas oitavas da Libertadores da América, o Defensa y Justicia é o mais forte candidato a ficar pelo caminho. Esta é a visão geral da imprensa do país para a série contra o Flamengo que será aberta às 21h30 (de Brasília) de hoje (14) em Florencio Varella, na periferia de Buenos Aires.

“É um confronto desigual, o Defensa vai enfrentar o melhor elenco da Libertadores”, analisou na madrugada de hoje o comentarista Hugo Balassoni na Rádio La Red. A Radio Mitre, a mais ouvida da Argentina, foi ainda mais longe: “Este é o jogo perfeito para uma daquelas bruxarias de Beccacece. Ele não gosta de viajar, de inventar? Chegou a hora”, cravou o locutor Gabriel Anello, lembrando que o treinador é considerado o mais versátil da Argentina, trocando de esquema durante o jogo e também de acordo com o adversário.

Esta será a primeira vez do Defensa em um mata-mata de Libertadores. O atual campeão da Sul-Americana e da Recopa vai lutar contra a forte sensação de dever cumprido ao fechar a fase de grupos em segundo, só atrás do Palmeiras em sua chave.

Conhecido como um clube de “giro de mercado”, com jogadores e técnicos sempre de olho em transferências, o Defensa perdeu o seu goleador, Braian Romero, contratado pelo River, e dois outros titulares importantes: Enzo Fernández (volante que volta ao River) e Francisco Pizzini (atacante que voltou ao Independiente).

Mais ausentes no Defensa: Nahuel Gallardo, Néstor Breitembruch e Eugenio Isnaldo, todos negociados. As chegadas estão longe de prometer suprir as ausências. Quem chega e já joga é o rodado Lucas Barrios, ex-Grêmio e Palmeiras. Outro com chances de já estrear é o lateral Alexis Soto, ex-Racing, que também atua como zagueiro.

Os demais reforços ainda brigam por posição. São eles: Hugo Silva e Hugo Fernández, do Olimpia (Paraguai), Tomas Cardona (do Las Palmas) e Kevin Gutiérrez (do Racing).

Salvo surpresas de última hora, Beccacece (chamado de “Beccasexy” por suas muitas fãs na Argentina) leva a seguinte formação titular com um 3-5-2: o goleiro segue sendo o instável Ezequiel Unsain, com Adonis Frías, Juan Gabriel Rodríguez e Alexis Soto na defesa.

O meio-campo será povoado por Raúl Loaiza; Gabriel Hachen, Lautaro Escalante, Marcelo Benítez e Carlos Rotondi. Walter Bou e Lucas Barrios formam uma dupla de ataque de experiência (e muito oportunismo no caso de Bou, de boa passagem pelo Boca há cinco anos).

Xadrez e filosofia

Beccacece tem chamado a atenção na Argentina também por hábitos distantes da imagem geral do futebol. Ele frequentemente é visto jogando xadrez para aprimorar o raciocínio e a velocidade para tomar decisões.

beca - Reprodução web - Reprodução web

Técnico do Defensa y Justicia, Sebastián Beccacece joga xadrez, uma de suas paixões

Imagem: Reprodução web

O hábito adquirido em sua passagem pelo Racing segue ativo e impressionando quem acompanha.

Quem já trabalhou com ele afirma que Beccacece respira futebol 24 horas por dia. Gosta de planejar as suas ações, estudar os adversários e situações que podem acontecer no decorrer de uma partida. É um perfeccionista assumido, da escola “Loco Bielsa” de obsessão.

Para ter um bom repertório intelectual para além do futebol, ele aposta nas leituras biográficas e filosóficas. Os títulos favoritos dele pertencem a Darío Sztajnszrajber e José Pablo Feinmann, filósofos reconhecidos na Argentina e no mundo. Na música, prefere o rock da tradicional banda argentina Los Piojos, segundo o extenso perfil sobre ele publicado pelo UOL Esporte em abril.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui