Após um mês de ‘seca’, bola aérea volta a ser arma importante no Flamengo

Everton Ribeiro e Willian Arão cumprimentam jogadores do Talleres antes de jogo pela Libertadores 2022 (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

O Flamengo vem de duas vitórias e um empate nos últimos três jogos. Mas, o que mais chamou atenção nesse período foi a bola aérea ofensiva do Mais Querido. Depois de um mês sem marcar dessa forma, cinco dos últimos seis gols da equipe de Paulo Sousa foram de cabeça. mar

Antes, o último gol em bola aérea do Flamengo tinha sido na estreia do Brasileirão, com Bruno Henrique, após escanteio batido por Arrascaeta, no empate em 1 a 1 com o Atlético-GO. O jogo foi realizado no dia 9 de abril. Depois dele, o Mais Querido enfrentou Talleres, São Paulo, Palmeiras, Athletico, Universidad Católica, Altos, Talleres de novo e Botafogo.

A equipe só voltou a fazer gol em bola aérea no dia 11 de maio, na vitória de 2 a 0 contra o Altos. Na ocasião, Victor Hugo marcou o segundo do Flamengo, em bela cabeçada, após cruzamento de Rodinei. Desde o do Bruno Henrique contra o Atlético-GO e o do jovem na Copa do Brasil, passaram 1 mês e dois dias, além de 14 gols marcados pelo rubro-negro.

Entretanto, após o gol de Victor Hugo, o Flamengo desencadeou em fazer gols de bola aérea. No jogo seguinte, contra o Ceará, o Mais Querido empatou em 2 a 2. Os dois foram marcados por Willian Arão, após escanteio cobrado por Arrascaeta. Já na vitória de 3 a 0 na Universidad Católica, Arão, em outra batida de escanteio do uruguaio, e Everton Ribeiro marcaram de cabeça.

No caso do camisa 7, assim como de Victor Hugo, não foi em bola parada. Na jogada, Matheuzinho cruzou na segunda trave para Bruno Henrique, que cabeceou para o meio. Everton Ribeiro, então, mergulhou e marcou de peixinho. Na mesma partida, Pedro encerrou a sequência de cinco gols seguidos de cabeça do Flamengo.

Retirado de: Diário do Fla

Relacionadas

- Advertisement -

Últimas Notícias